Carta ao meu mais novo namorado

Meu amor,

não sei exatamente o que somos. Mas partindo do pressuposto de que não somos nada, quero que saiba que nunca é preciso nomenclaturas ou dias especiais para dizer, que não só que se ama, mas, o quanto se ama.

Há 4, 3 semanas, eu não fazia ideia do que sentia, era até capaz de jurar que não daríamos certo. E você me fez repensar em tudo isso. E acima de tudo, você não desistiu de mim.

Nossa cara, eu amo tanta coisa em você!

Eu amo quando a gente se beija e no final se abraça. Eu amo quando você me olha todo desconfiado, quando faz piada sem graça só pra me ver reclamar, ou até mesmo rir. Afinal, do jeito que ando apaixonada, acho graça até do jeito que você respira, se sua intenção for arrancar um sorriso meu. Amo o jeito que me atende quando te ligo, “fala amor”, com a voz toda rouquinha... Eu amo quando você fica por perto.

Em uma de nossas brigas, você disse pra falar todos os seus defeitos pra que você pudesse mudar. Mas cara, é impossível! Afinal, tudo que há em mim ama tudo que existe em você. Até os seus defeitos.

Não é pouco tempo pra falar tudo o que eu disse, já que parece que te conheço a uma eternidade.

Obrigada por me aturar. Sei que não é fácil, e obrigada por isso!

Sabe, pergunto a Deus todos os dias o que você viu em mim. Mas eu não quero que procure e veja em outras pessoas o que você vê em mim. Porque seja lá o que for, sei que ninguém será capaz de sentir o que eu sinto, com a intensidade que eu sinto. E tenho certeza que é por isso que você me escolheu. Porque é RECIPROCO!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

E pra quem diz que não entende as mulheres...

Menina

Não sei a causa de tamanha falta de consideração com o que sente